Eficiência energética: como funciona e o que abrange esse mercado

Quando falamos em eficiência energética, nos referimos à relação entre a quantidade de energia utilizada e aquela disponível para sua realização. Devemos lembrar, no entanto, que existe uma diferença entre eficiência energética e conservação de energia. 

A eficiência energética é a realização do trabalho utilizando-se a menor quantidade de energia possível, já a conservação de energia é quando poupamos energia de alguma forma, seja apagando a luz quando saímos de um ambiente, tomando um banho frio sem usar o chuveiro elétrico, ou quando desconectamos um aparelho elétrico da tomada que esteja fora de uso, entre outros.

Atualmente, um dos assuntos que mais vêm sendo discutidos na sociedade é a importância em se buscar um aumento da eficiência energética nos serviços. Isso acontece pois, além de trazer benefícios do ponto de vista financeiro, também é muito importante para preservação ambiental. 

A seguir, vamos entender como funciona esse mercado, quais as perspectivas profissionais daqueles que buscam essa área e a posição do Ceará quando falamos sobre esse assunto.

Mercado de energia

Consultamos a mestra e doutora em Química Adriana de Oliveira, professora do curso de Energias Renováveis da Universidade de Fortaleza. "Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o mercado de energia é o comércio de eletricidade criado pela iniciativa privada que atua em parceria com o governo".

Adriana salienta que o governo possui papel fundamental na construção da regulação, via ANEEL. As empresas devem atuar no gerenciamento, a partir de escolhas de fontes de energia, passando por projetos de eficiência energética, estabelecendo a melhor distribuição e melhores negociações e contratações.

A coordenadora do curso de Pós-Graduação em Eficiência Energética da Universidade de Fortaleza, professora Camylla Melo, comenta. "Com o Brasil passando por uma transição no modelo energético, a demanda por profissionais de eficiência energética está em crescimento. O sucesso da implantação desse novo modelo é de suma importância para que o país possa progredir e se desenvolver", destaca. 

A posição do Ceará 

 "O plano Fortaleza 2040 propõe um comprometimento da cidade com ganhos por meio de medidas de eficiência energética em até 20% da demanda de energia para a cidade. Através do Governo do Estado se tem o apoio do Programa Estadual de Eficiência Energética (PEEE), por meio da análise de eficiência, caracterizada pela utilização de unidades produtivas chamadas de DMUs (Decision Marking Units). O Ceará encontra-se em 70% em potencial de eficiência, ocupando a 9ª colocação em relação aos outros estados, de acordo com dados do último IBGE em 2018", afirma Adriana de Oliveira.

Eficiência energética na prática

No início do ano de 2021, a Universidade de Fortaleza deu início às atividades da usina solar instalada nos telhados do novo estacionamento de veículos do campus, sendo essa a segunda maior da categoria no Brasil. O equipamento conta com 5.580 placas instaladas com capacidade para gerar uma economia de cerca de 2.1 MWp. 

Dessa forma, a instituição visa operar com a geração de energia limpa, capaz de absorver de 25% e 30% do consumo de energia elétrica da universidade. 


Usina solar instalada na coberta do novo estacionamento de veículos do campus da Universidade de Fortaleza (foto: Ares Soares)

Diferencial para o profissional 

De acordo com o estudante do curso de Engenharia Elétrica da Unifor Régis Rolim, "o profissional da área de eficiência energética que se destaca nessa área deve saber fazer um bench muito forte, pois muitas vezes o cliente não sabe que sua conta pode ser reduzida, cabendo ao profissional buscar o cliente no mercado, e não o contrário". Camylla Melo complementa. "O setor necessita de profissionais cada vez mais qualificados. A busca por especializações e certificações é um dos grandes diferenciais valorizados por grande parte dos contratantes", finaliza.